alergênicos

Alimentos alergênicos: quais são e por que se preocupar

Nós do Semear apoiamos a acessibilidade. Ouça nosso conteúdo em áudio: 

Alguns alimentos podem ser perigosos para as pessoas que apresentam alergias, resultando em reações nem um pouco agradáveis. Você sabia que algumas substâncias estão presentes em remédios e vacinas? Portanto, leia abaixo quais são os alimentos alergênicos mais comuns.  

Alimentos alergênicos que devem ser controlados e informados segundo a legislação brasileira

  Relação de alergênicos controlados segundo RDC26/2015 da ANVISA alergênicos                                                                             Fonte: RDC 26/2015 Vamos falar um pouco sobre alguns destes alimentos, vinculados a muitos casos de reações alérgicas no Brasil e no mundo. 

Leite

alergênicos A alergia ao leite envolve mecanismos imunológicos contra as proteínas do leite (caseína, alfa-lactoalbumina, beta-lactoglobulina). Os leites de vaca, de ovelha e de cabra podem causar reação e os sintomas incluem problemas digestivos, vômitos e urticárias. O principal tratamento é evitar a proteína do leite.   Cerca de 2 a 3% das crianças com menos de 3 anos de idade são diagnosticadas com alergia ao leite. Quase todos os bebês que desenvolvem alergia a leite a adquirem em seu primeiro ano de vida, mas cerca de 80% são propensos a superar essa alergia. No entanto, as pesquisas também sugerem que as crianças estão superando essa alergia com mais lentidão que antes, e muitas ainda são alérgicas após os 5 anos de idade.   Vale ressaltarmos que o diagnóstico de alergia não é algo simples, requer exames e investigações que demandam tempo e muitos exames para que se tenha certeza do diagnóstico.   Os principais sintomas relacionados a reação alérgica a produtos lácteos são:  
  • Chiado leve ou tosse
  • Vômito
  • Erupções/brotoejas
  • Fezes com sangue (especialmente em bebês)
  • Sintomas digestivos
 

Ovos 

A alergia ao ovo é uma reação adversa causada por um mecanismo imunológico contra as proteínas do ovo e que ocorre após ingestão ou contato com ovo nas pessoas que desenvolveram IgEs específicas para este alimento. Reações alérgicas ao ovo variam de pessoa para pessoa e podem ocorrer de alguns minutos a algumas horas após a ingestão.  Os sinais e os sintomas de alergia a ovo incluem:    
  • Erupções cutâneas/urticária
  • Congestão nasal (rara)
  • Chiados leves e tosse (raros) 
  • Sintomas digestivos (por exemplo dor de estômago, diarreia e náusea)
  • Vômito
O ovo pode estar presente em sorvetes, sopas enlatadas, molhos, pães e massas. Além disso, Ovos também podem ser encontrados em alguns medicamentos e vacinas.   

Peixes e Crustáceos

alergênicos Infelizmente, alguns amantes dos frutos do mar têm grandes chances de desenvolver alergia a peixes e crustáceos.  Peixes e crustáceos são biologicamente diferentes, portanto, os peixes podem não causar uma reação alérgica em uma pessoa com alergia a crustáceos, ou vice-versa. Na alergia a peixes e crustáceos, o sistema imunológico identifica algo com que você entra em contato como prejudicial. Quando você é alérgico e come peixes ou crustáceos, seu sistema imunológico libera histaminas, que causam seus sintomas alérgicos. Os frutos do mar, incluindo peixes e crustáceos, podem ser um ingrediente oculto em muitos alimentos e até mesmo remédios para crescimento capilar, por isso, é importante ler o rótulo ou perguntar antes de comprar ou comer certos alimentos.  A alergia a peixes e crustáceos é incomum, mas grave: a alergia pode resultar em anafilaxia, uma reação alérgica possivelmente fatal. Muitas pessoas desenvolvem essa alergia já adultas (60% das alergias a mariscos e 40% das alergias a peixe começaram na vida adulta) e suas reações podem ser graves. Essas alergias podem ser causadas por frutos do mar que você já comeu antes sem problemas; mas, uma vez que você desenvolve uma alergia desse tipo, geralmente a terá por toda a vida.   Os sintomas da alergia a peixes e crustáceos podem incluir:
  • Chiado leve ou tosse
  • Coceira na boca
  • Vômito
  • Coceira intensa
  • Erupções cutâneas (eczema)
  • Inchaço da face
  • Aparência pálida/avermelhada
  • Sintomas de anafilaxia
  • Sintomas digestivos (por exemplo, dores estomacais, diarréia, náusea)
 

Amendoim

A alergia ao amendoim é comum e ocorre em crianças e adultos. Nesse caso, o sistema imunológico identifica as proteínas do amendoim como prejudiciais. Quando uma pessoa entra em contato com o alimento, seu sistema imunológico reage e libera histaminas, causando a reação alérgica. Além disso, geralmente, a alergia a amendoim dura por toda a vida — somente cerca de 20% das pessoas com essa alergia conseguem superá-la. Algumas pessoas, que eventualmente acabaram conseguindo se livrar dessa alergia, já tiveram reações graves a amendoim. Assim, a gravidade de sua reação não significa que você não vai superar a alergia. Geralmente, as reações alérgicas a amendoim são a causa mais comum de anafilaxia fatal induzida por alimentos, e os grupos de maior risco são adolescentes com asma Os sintomas da anafilaxia são dificuldade para respirar, inchaço na garganta, queda súbita de pressão arterial, pele pálida ou lábios azulados, desmaio e tontura.  Os sintoma menos graves são:
  • Náusea
  • Coceira ou urticária
  • Nariz congestionado ou secreção

Como saber se tenho alergia a algum alimento? 

Ao apresentar sintomas após a ingestão de alimentos é necessário saber se é alérgico ou não. Alguns testes podem te ajudar como testes de leitura imediata e de contato com a pele, exames laboratoriais de IgE total e IgE específica no sangue e testes de provocação. Lembrando que apenas um bom médico, realizando as investigações e exames corretos será capaz de diagnosticar com precisão o quadro de alergia. Saiba a diferença entre alergia alimentar e intolerância alimentar

Qual o papel do consumidor em relação aos alergênicos ?

O consumidor deve estar atento aos alimentos que compra e que consome no dia a dia, principalmente fora de casa. É preciso saber todas as informações contidas nos rótulos e estar ciente se o lugar que você se alimenta se preocupa com o preparo dos alimentos. Os pais devem tomar cuidado ao inserir estes alimentos na dieta das crianças, avaliando se ao ingerir determinado alimento alguma reação adversa é desencadeada, principalmente daqueles alimentos que desencadeiam reações graves como a anafilaxia. É extremamente importante que os pais procurem médicos especialistas  para diagnosticar corretamente as alergias e também as intolerâncias alimentares, pois, restringir a alimentação de algum alimento sem a devida necessidade poderá acarretar reais desconfortos ou problemas futuros. Saiba também qual o papel da indústria no gerenciamento de alergênicos Referências:    BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução – RDC nº 26, de 2 de jul. 2015. Dispõe sobre os requisitos para rotulagem obrigatória dos principais alimentos que causam alergias alimentares. Diário Oficial da União. Brasília, DF, Seção 1, 3. Jul, 2015. Lifschitz, C and Szajewska H. Cow’s milk allergy: evidence-based diagnosis and management for the practitioner.  Eur J Pediatr 2015; 174:141-15. Sampson, HA. 9. Food Allergy. J Allergy Clin Immunol;2003; 111(2Supl.): S540-7 Turner P, et al. Seafood allergy in children: a descriptive study. Ann Allergy Asthma Immunol. 2011; 106(6)494-501. Sampson HA, Mendelson LM, Rosen JP. Fatal and near-fatal anaphylactic reactions to food in children and adolescents. N Engl J Med. 1992;327:380 –384. (III)        

Adicione um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

dois − um =