seguranca-alimentar-fiscalizar-tambem-e-tarefa-dos-consumidores

Cultura de Segurança dos Alimentos, o que devo fazer?

Por: Keli Lima Neves

A segurança dos alimentos é um tema que afeta a todos nós, independentemente de onde vivemos ou do que comemos.

Cultura de Segurança dos Alimentos

A cultura de segurança dos alimentos surge como um conceito e uma forma de pensar, cada vez mais relevante, abordando não apenas os aspectos técnicos e regulatórios, mas também a mentalidade, comportamentos e atitudes em relação à segurança dos alimentos.

Neste artigo, vamos explorar o que é a cultura de segurança dos alimentos, como ela pode ser promovida e fortalecida e quais os documentos iniciais que você deve conhecer e estudar.

 

O que é Cultura de Segurança dos Alimentos?

A cultura de segurança dos alimentos refere-se ao conjunto de crenças, valores, atitudes, normas, comportamentos e práticas compartilhadas por todas as partes envolvidas na cadeia de produção e consumo de alimentos. Ela abrange desde os agricultores e produtores até os consumidores finais, e influencia todas as etapas, desde o cultivo e produção até o armazenamento, distribuição, preparo e consumo dos alimentos.

A cultura está associada aos hábitos estabelecidos por um grupo de indivíduos, isso significa dizer que, cada indústria tem a sua própria cultura de segurança dos alimentos e é aqui que temos um grande trabalho a fazer, construir uma cultura de segurança dos alimentos positiva e madura dentro das empresas onde atuamos e também, contribuir para a mudança desta cultura na sociedade onde estamos inseridos.

Como Promover uma Cultura de Segurança dos Alimentos?

 Promover uma cultura de segurança dos alimentos envolve uma abordagem multifacetada que abrange diferentes aspectos da cadeia alimentar e da sociedade como um todo. Algumas estratégias-chave:

 

Educação e Conscientização: Capacitar os trabalhadores com conhecimentos sólidos sobre higiene, boas práticas de fabricação, manipulação segura de alimentos e prevenção de contaminação é fundamental. Ter noção de que não se trata apenas de oferecer treinamentos, mas de inovar, de engajar, de entender qual a melhor forma de ensinar os trabalhadores da sua empresa.

 

Implementação de Normas e Regulamentações: A empresa deve entender e atender todas as regulamentações associadas ao seu negócio. Demonstrar a importância dos assuntos relacionados a segurança dos alimentos em cada decisão do seu dia-a-dia. Lembrar que a cultura adotada e inserida na organização vai depender do olhar que a alta direção tem para esse tema.

 

Recurso necessário para promover as BPF: para cobrar algo é preciso oferecer o recurso necessário e esse deve ser o pensamento quando o assunto é segurança dos alimentos. Estes recursos vão desde estrutura, equipamento, material, equipe, treinamentos, conscientização, exemplo.

 

Comunicação e Transparência: Promover a comunicação aberta e transparente entre todas as partes interessadas, incluindo produtores, processadores, varejistas e consumidores, é fundamental para construir confiança e promover a segurança dos alimentos. Moldar a comunicação de acordo com o publico para melhorar o entendimento e o engajamento.

 

Inovação Tecnológica: O uso de tecnologias inovadoras, pode ajudar a melhorar a segurança dos alimentos ao longo de toda a cadeia de abastecimento e envolver essa nova era de profissionais.

 

Responsabilidade: a empresa precisa entender a sua responsabilidade na saúde dos consumidores e encontrar formas de envolver os colaboradores de modo que eles entendam as suas responsabilidades diante de cada decisão tomada no dia-a-dia, desde a correta higienização das mãos até o registro adequado de informações.

 

Envolvimento da Comunidade: Engajar e educar a comunidade sobre segurança dos alimentos pode ajudar a criar uma cultura de responsabilidade compartilhada, onde todos se sintam responsáveis por garantir a segurança dos alimentos.

 

Por onde começar?

Comece mudando sua forma de pensar sobre Segurança dos Alimentos e principalmente sobre como ensinar.

Estude sobre pessoas, sobre hábitos, sobre comportamentos e estude sobre cultura.

Alguns documentos específicos sobre cultura de segurança dos alimentos já foram publicados e ajudam as pessoas e empresas no planejamento do caminho que deve ser percorrido, das mudanças na nossa forma de treinar e gerir, dos pilares envolvidos nesta construção da cultura positiva.

 

Minha recomendação é que você comece pelos seguintes documentos:

 

Cultura para Segurança dos alimentos – Guia com o posicionamento do GFSI

Revisão sistemática da literatura sobre cultura de segurança alimentar

Este documento também está disponível no blog do SEMEAR como uma tradução livre, você pode acessar aqui.

PAS 320 – Guia para Desenvolver e sustentar uma cultura madura de segurança dos alimentos – BSI

Documento de orientação: Cultura de Segurança dos alimentos e Qualidade de alimentos – FSSC

 

Esse é um caminho em construção e completamente necessário para a mudança que precisamos na mentalidade organizacional e social sobre Segurança dos Alimentos.

Tags: No tags

Adicione um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

um + 19 =