pexels-gareth-willey-7052434

Desperdício de alimentos

Por: Renata Lima

 

Precisamos falar sobre a perda e desperdício de alimentos. É primordial conhecer as fases do sistema de abastecimento em que isso ocorre, para compreender nosso papel nesse controle.

A perda e o desperdício geram impactos ao meio ambiente (mudanças climáticas, desperdiçam recursos hídricos e terrestres), prejudicam o desenvolvimento econômico e o acesso à alimentação da população no presente e futuro. A perda e o desperdício estão inteiramente ligados à segurança alimentar e nutricional.

 

ENTENDA A DIFERENÇA DE PERDA E DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS

Perda de alimentos é quando há uma redução na qualidade ou quantidade dos alimentos nos locais de produção e fornecimento, sem contar varejistas, prestadores de serviços de alimentação e consumidores.

Desperdício de alimentos refere-se à diminuição na quantidade ou qualidade dos alimentos como consequência de ações realizadas por varejistas, serviços de alimentação e consumidores.

Não só o alimento é desperdiçado quando não é consumido, há outros desperdícios por trás: todos os recursos para a produção, como sementes, terra, energia, água, assim como todo o dinheiro e o trabalho utilizados da produção até o transporte para a entrega do produto.

 

DADOS MUNDIAIS

O Programa das Nações Unidas para o meio ambiente estimou que em 2019, 17% da produção global de alimentos foi descartada ou desperdiçada pelos consumidores, varejistas e setores de serviços de alimentação, isso equivale a aproximadamente 931 milhões de toneladas de alimentos.

 

PESQUISA SOBRE DESPERDÍCIO EM FAMÍLIAS BRASILEIRAS

Uma pesquisa sobre desperdício de alimentos em famílias brasileiras, em parceria Brasil e União Europeia, faz parte do projeto Diálogos liderado pela Embrapa e teve seus dados divulgados em 2018:

Em média, 128 kg são desperdiçados pelas famílias por ano; o equivalente a 353g por dia. Os alimentos mais desperdiçados foram: arroz, carne bovina, feijão e frango.  Assim como mostram os estudos realizados com a população europeia, tanto no Brasil como na Europa, a maior parte dos alimentos descartados estão relacionados com o não aproveitamento das sobras.

No Brasil ainda temos um agravo relacionado ao meio ambiente, o descarte dos alimentos não consumidos deveria ser feito em locais apropriados e mais adequados do que aterros sanitários que é para onde são levados.

O relatório ainda divulga as novas projeções para o desperdício global e mostra que tende a aumentar ainda mais, chegando em 2030 a um desperdício de US$1,5 trilhão em alimentos; reforçando a necessidade urgente de novas ações para mudanças nesse cenário.

Nós do Semear queremos sempre alertar e mostrar mudanças que possam fazer a diferença. Com as pesquisas podemos perceber que para reduzir o desperdício é necessário mudanças de comportamento que vão desde a produção, passando pela comercialização até o consumidor. Não podemos esquecer do papel essencial das políticas públicas e dos investimentos que devem ser direcionados pensando em um futuro melhor e mais justo.

 

 

Referências:

1) FAO – Food and Agriculture Organization of the United Nations

2) Intercâmbio Brasil-UniãoEuropeia sobre desperdício de alimentos: relatório final. 2018

https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1105525/intercambio-brasil-uniao-europeia-sobre-desperdicio-de-alimentos-relatorio-final

Tags: No tags

Adicione um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

três × quatro =