pexels-pixabay-248412

Leite A2: quais os benefícios?

Leite A2 é composto por nutrientes, como proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas, minerais e existe uma diferença na sua principal proteína, chamada de caseína.

Conteúdo extraído do artigo TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O LEITE A2

Nós do Semear apoiamos a acessibilidade. Ouça nosso conteúdo em áudio.

O leite é um alimento completo, rico em nutrientes essenciais para a saúde de
crianças, adolescentes, adultos e idosos. Pesquisas recentes têm mostrado os prejuízos causados por sua retirada das dietas, como redução do crescimento, osteoporose e deficiências nutricionais. Os lácteos são as melhores fontes naturais de cálcio, pois apresentam a mais alta biodisponibilidade desse mineral, ou seja, grande parte do cálcio ingerido é absorvido. As proteínas do leite têm um excelente perfil de aminoácidos, muitos deles essenciais para o organismo em todas as fases da vida.

PROTEÍNA DO LEITE

O leite em sua composição é, no caso dos bovinos, de 87% de água e 13% de sólidos. Os sólidos são divididos em: proteínas totais (3,3-3,5%), gordura (3,5-3,8%), lactose (4,9%), minerais (0,7%) e vitaminas. A quantidade de proteínas depende, principalmente, da raça e da dieta dos animais. De forma geral, a proteína do leite é dividida em duas frações, a caseína, que representa, em média, 80% da proteína do leite, e as proteínas do soro, que compõem os outros 20%.

 CASEÍNA

A caseína tem uma composição de aminoácidos muito equilibrada, que inclui todos os nove aminoácidos essenciais, fornecendo um importante substrato para o crescimento e o desenvolvimento de crianças e jovens. Essa proteína de alta qualidade, presente no leite de vaca, é uma das principais razões pelas quais esse alimento é tão significativo. Além da função nutricional, a caseína é o meio pelo qual é possível disponibilizar ao neonato grande quantidade de cálcio, pois é essencial para que este possa passar pelo epitélio mamário sem provocar problemas de calcificação. A β-caseína compõe, aproximadamente, 30% da proteína total do leite de vaca, e os tipos mais comuns encontrados nos bovinos são A1 e A2.

MAS, AFINAL, O QUE É LEITE A2?

Ele é composto por nutrientes, como proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas, minerais e existe uma diferença na sua principal proteína, chamada de caseína. Existem duas variantes dela: a β-caseína A1 e a caseína A2.¹ [KLN1] O leite tipo A2 vem de vacas com uma genética que contém apenas a variante da caseína A2. A produção deste tipo de leite acontece por seleção genética e, para isto acontecer, o produtor necessita realizar um mapeamento genético das vacas. Só assim consegue-se identificar se os animais são aptos a produzir este tipo de leite. As vacas que passaram no teste devem ser separadas e inseminadas artificialmente com sêmen de bois que também têm o genótipo A2A2 (mesma característica genética apontada acima).

Por não possuir a β-caseína A1, o leite A2 pode ser consumido por pessoas que tenham sensibilidade ao peptídeo BCM-7, que é produzido durante a digestão da β-caseína A1. Em pessoas com sensibilidade a essa molécula, o consumo de leite pode causar desconforto, produção de gases e fezes mais líquidas, sintomas que podem ser confundidos com a intolerância à lactose.

A composição nutricional é igual entre o leite A2 e o leite convencional, ou seja, ambos são fontes ricas em proteína e cálcio. A diferença está apenas em um tipo de proteína, a β-caseína.

 

PRA QUEM É RECOMENDADO LEITE A2?

O leite A2 pode eliminar o desconforto que algumas pessoas sensíveis aos derivados da β-caseína A1 sentem após ingerir leite. No mais, o leite A2 é tão saudável quanto o leite convencional. O leite A2, acaba tendo um processo de digestão mais saudável, causando menos problemas ao intestino, por exemplo. No leite A2 o teor de lactose é igual ao do leite convencional e a quantidade de cálcio é a mesma.

 

SOU INTOLERANTE À LACTOSE. POSSO TOMAR LEITE A2?

Muitas pessoas que acreditam ser intolerantes à lactose o fazem por crença ou porque receberam um diagnóstico dado no consultório médico, não laboratorial, o que não é suficiente. Várias dessas pessoas podem ser indivíduos sensíveis à caseína A1, como explicado anteriormente, e o leite Vital veio para resolver esse problema. Mas, mesmo pessoas intolerantes à lactose precisam consumir lácteos, em pequenas quantidades, para estimular o organismo a produzir lactase, a enzima que digere a lactose. Converse com o seu médico!

 

MEU FILHO TEM APLV (ALERGIA À PROTEÍNA DO LEITE DE VACA). ELE PODE TOMAR O LEITE A2?

Também no caso da APLV, muito mais grave que a intolerância à lactose, muitos diagnósticos errados têm sido dados. E, também nesse caso, os sintomas apresentados pela criança podem ser causados pela caseína A1, o que não ocorrerá se ela tomar o leite Vital. Converse com o pediatra!


Tags: No tags

Adicione um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

quatro × dois =