Streptococcus pyogenes

Streptococcus pyogenes

Por: Keli Lima Neves

 

Microrganismo investigado por possível associação a óbito de crianças no estado de Minas Gerais.

São João del Rei confirma caso de contaminação por bactéria em criança internada por duas semanas; óbitos são investigados

Introdução

Streptococcus pyogenes, comumente conhecido como Streptococcus do grupo A (GAS), é famoso por causar uma ampla gama de infecções humanas.  Desde simples infecções na garganta até infecções invasivas potencialmente fatais.

Compreender esta bactéria, a sua patogenicidade e o seu papel em diversas doenças é crucial para a saúde pública e para os profissionais médicos.

Neste artigo abordamos  algumas informações sobre o Streptococcus pyogenes, examinando suas características, seu impacto na saúde humana e os esforços contínuos para combater suas infecções.

 

Características do Streptococcus pyogenes

Streptococcus pyogenes é uma bactéria gram-positiva, pertencente à família Streptococcaceae, catalase-negativos e coagulase-negativos que ocorrem em pares ou em cadeias.

É um anaeróbio facultativo, o que significa que pode prosperar em ambientes com ou sem oxigênio. Essa adaptabilidade permite infectar vários tecidos do corpo humano.

 

Fatores de virulência

O GAS possui um arsenal de fatores de virulência que o tornam um patógeno formidável. Esses fatores incluem:

  • Proteínas M: O GAS expressa proteínas M em sua superfície, que ajudam a bactéria a escapar do sistema imunológico. Essas proteínas também desempenham um papel na adesão às células hospedeiras, auxiliando na colonização dos tecidos.
  • Estreptolisinas: GAS produz dois tipos de hemolisinas, estreptolisina O (SLO) e estreptolisina S (SLS). O SLO é lábil ao oxigênio e lisa os glóbulos vermelhos, contribuindo para a beta-hemólise característica observada nas placas de ágar sangue. O SLS é estável ao oxigênio e contribui para danos nos tecidos.
  • Superantígenos: O GAS produz superantígenos que desencadeiam uma resposta imunológica excessiva e prejudicial, muitas vezes levando à síndrome do choque tóxico ou escarlatina.

 

Doenças causadas por Streptococcus pyogenes

Streptococcus pyogenes pode colonizar faringe, ânus e mucosa genital. As infecções causadas por S. pyogenessão altamente contagiosas.

A transmissão pode ocorrer através de gotículas transportadas pelo ar, contato das mãos com secreção nasal ou com objetos ou superfícies contaminadas com bactérias, contato da pele com lesões contaminadas ou fontes de alimentos contaminados.

As cepas de GAS podem adquirir acesso à pele por meio de abrasões e lesões cutâneas e podem causar erisipela ou celulite.

O GAS pode causar infecção nos músculos e na fáscia, resultando em miosite e fascite necrosante, geralmente após um trauma leve, e pode resultar na síndrome do choque tóxico. S. pyogenes pode causar infecção da mucosa vaginal e do útero causando septicemia.

 

Veja mais informações sobre S. pyogenes

 

Lesões cutâneas foram identificadas como o fator predisponente mais comum para infecções graves por S. pyogenes.

Ambientes lotados, como acampamentos militares, casas de repouso e escolas, facilitam a transmissão do organismo e resultam em epidemias de infecção por Streptococos do grupo A.

As infecções por GAS diminuíram em meados do século XX. Nas últimas duas décadas, as complicações não supurativas e supurativas da infecção por S. pyogenes aumentaram. Este aumento na carga de doenças pode ser atribuído a uma multiplicidade de fatores, incluindo alteração da virulência e resistência aos antibióticos.

As infecções variam em gravidade e apresentação. Algumas doenças comuns causadas por Streptococcus pyogenes incluem:

  • Strep Throat: Uma infecção comum que resulta em dor de garganta, muitas vezes acompanhada de febre e inchaço dos gânglios linfáticos.
  • Impetigo: Uma infecção de pele que causa feridas dolorosas e cheias de pus.
  • Celulite: Infecção da pele e dos tecidos moles que causa vermelhidão, inchaço e dor no local da infecção.
  • Escarlatina: ocorre como uma complicação da infecção de garganta e se apresenta com uma erupção cutânea característica e uma “língua de morango”.
  • Fasceíte  necrosante: Condição rara, mas com risco de vida, em que a bactéria invade tecidos profundos, causando rápida destruição dos tecidos.
  • Febre Reumática: Uma doença autoimune que pode se desenvolver como uma complicação de infecção de garganta não tratada, afetando o coração, as articulações, a pele e o cérebro.

 

Saiba mais sobre Streptococcus pyogenes

Tratamento e Prevenção

O tratamento de infecções por Streptococcus pyogenes geralmente envolve antibióticos, como penicilina ou amoxicilina. O diagnóstico e o tratamento precoces são cruciais na prevenção de complicações.

A prevenção de infecções por GAS pode ser um desafio, mas concentra-se principalmente em boa higiene.

Tratamento com antibióticos: O tratamento eficaz da infecção de garganta pode prevenir complicações como febre reumática.

 

Análise microbiológica em alimentos.

 

 

Referências

CDC https://www.cdc.gov/streplab/groupa-strep/index.html#:~:text=Streptococcus%20pyogenes%20(group%20A%20Streptococcus)&text=GAS%20causes%20infections%20such%20as,the%20United%20States%20each%20year.

 

NBCI https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK554528/#:~:text=Streptococcus%20pyogenes%2C%20also%20known%20as,the%20likelihood%20of%20GAS%20pharyngitis.

 

Tags: No tags

Adicione um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

seis − seis =