p_prica_doce_em_p_01

Conservante natural pode inibir crescimento de fungos em alimentos

De acordo com estudo, conservante natural à base de páprica e canela é rico em carotenoides e pode inibir o crescimento de fungos em alimentos.

Fonte: Alimentos sem Mitos 

Segundo estudo, a páprica e a canela podem preservar nutrientes e eliminar microrganismos de alimentos. Os cientistas, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e do Centro de Pesquisas em Alimentos (Food Research Center – FoRC), desenvolveram um conservante natural de baixo custo que em estudos in vitro se mostrou capaz de eliminar a grande maioria dos fungos e manter estável por 49 dias seu conteúdo de carotenoides, compostos conhecidos por efeitos anti-inflamatórios, antioxidantes e antimicrobianos.

Conservante natural

Por meio da extração de páprica do pimentão vermelho e de extratos de cascas da canela, que seriam descartadas, produtos concentrados ricos em compostos bioativos puderam ser obtidos. Com uma técnica que promove a proteção e liberação moderada dos ativos, foi possível transformar esses extratos em ingredientes mais estáveis e de aplicação mais ampla, na forma de um pó.

Ingrediente pode ser usado pela indústria alimentícia

Esse pó pode ser aplicado como ingrediente pela indústria alimentícia de forma mais eficaz e com maior apelo nutricional do que as estratégias que existem hoje. Os cientistas fizeram uma mistura das oleoresinas (extratos obtidos a partir de plantas e especiarias) de páprica e de canela, da gordura de palma (extraída de frutos da palmeira e muito utilizado na cozinha) e de uma gordura vegetal comercial (composta de uma mistura de palma e soja) — todos ingredientes naturais e amplamente utilizados em produtos alimentares.

“A indústria de alimentos enfrenta hoje inúmeros desafios para reduzir a utilização de conservantes sintéticos em busca de produtos de melhor qualidade e apelo nutricional. Extratos naturais como os óleos essenciais vêm sendo utilizados, mas, devido à sensibilidade dos compostos a fatores externos como luz, temperatura e oxigênio, utilizá-los na forma de um pó de maior estabilidade pode ser interessante”, detalha Fernanda Ramalho Procópio, doutora em Engenharia de Alimentos e primeira autora da pesquisa.

 

Mas afinal, o macarrão é saudável ou não?

O macarrão não é apenas carboidrato. Uma xícara (cerca de 145 gramas) de macarrão cozido contém cerca de 38g de carboidratos, 7,7g de proteínas e 0,6g de gordura. Além disso, tem toda a água que é absorvida ao cozinhar — e muitas vitaminas e minerais. Fala-se muito sobre a redução da ingestão de carboidratos para perder peso, mas lembre-se de que os carboidratos se apresentam em diferentes formas e em diferentes alimentos. Alguns deles, como o macarrão, oferecem outros benefícios. Outros, como bolos e pirulitos, agregam muito pouco.

Segundo a nutricionista Kristy Soraya Coelho, o macarrão é um alimento rico em carboidratos. Portanto, é pura fonte de energia. Nesse sentido, não há uma diferença nutricional significativa entre os tipos de massa. “No entanto, sempre que possível, recomenda-se o consumo de alimentos integrais. A massa integral é feita com o grão íntegro, apresentando um melhor perfil de minerais e vitaminas, e principalmente de fibras”.

O estudo

 

O estudo foi coordenado pela professora Miriam Dupas Hubinger, da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp e por Paulo José de Araújo Sobral, pesquisador do FoRC e professor da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da Universidade de São Paulo (FZEA-USP), o estudo foi publicado na revista Food and Bioprocess Technology.

Leia mais sobre o estudo no site Alimentos sem Mitos.

 

Adicione um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

3 × um =