recompensas

Cultura de Segurança de alimentos- Segunda dimensão: Incentivos, Recompensas e Reconhecimento

Nós do Semear apoiamos a acessibilidade. Ouça nosso conteúdo em áudio: 

  Por: Luísa Resende e Juliana Farias Salomão #culturadesegurançadosalimentos       recompensas  

O que o está previsto no Posicionamento do GFSI:

 

5.5. Incentivos, Recompensas e Reconhecimento

  Recompensas, quando combinadas com programas de reconhecimento justos e transparentes, podem ajudar a gerência a orientar os comportamentos de Segurança de Alimentos desejados. Tais programas devem ser projetados para acomodar diferenças culturais dentro da organização. Responsabilização e conformidade claras promovem comprometimento, empoderamento e senso de propriedade. As empresas podem usar vários incentivos e obstáculos para obter conformidade consistente, incluindo: feedback positivo e negativo, compartilhar as melhores práticas demonstradas e aprender com as falhas, por exemplo. Estabelecer programas de reconhecimento como: prêmios individuais e de equipe, reconhecimento do corporativo, pelos pares e auto-reconhecimento, compensação monetária e de tempo, elogios, incentivos para relatar falhas e quase acidentes. E também promoção e rebaixamento.    

Contribuição SEMEAR sobre Incentivos, Recompensas e Reconhecimento

  Com o objetivo de auxiliar no sistema de recompensas, reconhecimento e incentivos complementamos na sequência algumas informações que poderão ajudar na sua avaliação do cenário atual e das necessidades de melhoria dentro da organização para garantir que programas de reconhecimento e recompensas possam contribuir de forma apropriada em prol da Segurança de Alimentos.    

Definição do tema

Sistemas de  recompensa, reconhecimento e incentivos  podem  ser  definidos  como  um  conjunto  de  ações  de  natureza  material  e  imaterial, oferecidas  como  contrapartida  à  prestação  de serviços  pelo  colaborador e  com  intenção  de  reforçar  sua  motivação  e  produtividade. Logo, busca alinhar comportamentos, fortalecer e manter uma cultura positiva e madura de Segurança de Alimentos. O GFSI destaca que os programas de recompensas devem ser criados de forma justa,  transparente e positiva para que não sejam instrumentos de  manipulação  dos  indivíduos  ou  suborno  em  favor  da  parte  que  detém  o poder.   Muitas vezes fazemos uso dos termos recompensas e reconhecimento como se tivesse o mesmo significado, o que é equivocado. Vejamos a diferença:
  • A recompensa é transacional e racional, voltada para o resultado
  • O reconhecimento é pessoal e emocional, focado no comportamento
  • A recompensa atrai e o reconhecimento mantém
  Recompensas financeiras são  adotadas  para  suportar  estratégias  competitivas  tais  como  inovação, qualidade, foco no cliente, capacidade de assumir riscos, criatividade, flexibilidade, premiar  eficiência  e  objetivos  de  curto  prazo. Ao passo  que  reconhecimento são adotadas  para  melhoria  das  habilidades,  conhecimento,  auto-estima  e  competência  das pessoas,  atuando  fortemente  em  sua  motivação  intrínseca.  Tais afirmações concluem que programas de reconhecimento reforçam valores  organizacionais e que recompensas  financeiras  estão  associadas  à  satisfação  de  fatores  higiênicos.

Fonte: Armstrong (2007, p.34)

De forma prática, trazemos no quadro abaixo exemplos de recompensas e reconhecimentos sob a perspectiva individual ou de equipe. Na pesquisa realizada na tese de Isabela Cristina de Moraes[1] ao ser questionado:
  • Quando você ou sua equipe tem uma atitude positiva em relação à segurança dos alimentos há um prêmio? 67% dos entrevistados responderam que sim.
  • Quando ocorre alguma atitude negativa existe um sistema de punição? 88% das pessoas responderam que sim. Constatou-se que a punição não ocorria nos níveis de liderança e era bastante severa entre os funcionários, algumas vezes resultando em demissão.
  Vale também ressaltar que de acordo com um estudo sobre o comportamento humano feito pela Gallup, descobriram que dar um feedback positivo é uma abordagem muito mais eficaz do que uma fixação nas fraquezas. Essa pesquisa também descobriu que em equipes de alto desempenho a proporção de feedback positivo e negativo é de cerca de 6 para 1.   Pelo que foi visto, é importante investir tempo e esforços para criar programas de recompensa, reconhecimento e incentivos que geram engajamento dos colaboradores na promoção e manutenção de uma cultura positiva de segurança de alimentos dentro das organizações.   Referências: NONAKA,Tochio; NETO, Mario; TOGASHI, Fernando. Fatores Relevantes na Implementação de Recompensas Não financeiras e Programas de Reconhecimento  Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, UNEB, Salvador, set. /dez 2017.Disponível em: <https://www.revistas.uneb.br/index.php/financ/article/view/3567/2442>   MORAIS, Isabela Cristina. Avaliação da relação da cultura organizacional de segurança de alimentos na aplicabilidade da norma ABNT NBR 15635:2008: estudo de caso em um restaurante industrial. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. 27-Fev-2013. [1] MORAIS, Isabela Cristina. Avaliação da relação da cultura organizacional de segurança de alimentos na aplicabilidade da norma ABNT NBR 15635:2008: estudo de caso em um restaurante industrial. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. 27-Fev-2013. Disponível em:<https://tede.ufrrj.br/jspui/bitstream/jspui/2524/2/2013%20-%20Isabela%20Cristina%20Lobo%20de%20Morais.pdf>  

Adicione um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

cinco × 1 =